PUBLICIDADE

Dicas para um jardim na varanda do apartamento

Por Revista Síndico
Última atualização: 05/01/2021
, ,

A escolha das plantas deverá ser feita com base nas características da sua varanda em termos de incidência solar, vento e materiais da parede e piso
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os jardins sempre foram um complemento maravilhoso para a arquitetura. Desde os tempos antigos, eles foram cuidadosamente elaborados visando embelezar e dar mais vida a pátios espaçosos ou fundos de residências. Agora, paisagistas e arquitetos estão aprimorando suas ideias para acrescentar mais verde também às plantas dos apartamentos. E isso já pode ser visto na instalação do chamado jardim indoor.

Já sabemos dos inúmeros benefícios que as plantas trazem a um ambiente: produzem oxigênio, incrementam na decoração, trazem mais alegria à residência, ajudam na umidificação do ambiente, entre outros. Porém, montar um espaço bacana requer planejamento, conhecimento sobre plantas, escolha de materiais e cuidados com a manutenção. 

A bióloga Niedja Rodrigues alerta sobre os cuidados com o plantio e manutenção das plantas

A bióloga e paisagista, Niedja Rodrigues, conhece bem o assunto e destaca alguns pontos. “Criar um jardim dentro de casa e ao mesmo tempo fazer desse espaço um ambiente decorativo é um desafio para muitas pessoas. É preciso muita atenção na hora de escolher as novas “moradoras” do local. A principal dica é conhecer bem o ambiente, suas características e funcionalidades”.

Vamos começar a montar o seu jardim na varanda

Para conseguir um jardim do seu jeito, observe o espaço disponível, descubra quais as cores predominantes, qual é o estilo em destaque, o que você aprecia e o que não lhe agrada. É preciso escolher muito bem o mobiliário e os acessórios que farão parte da composição. E tudo dependerá de alguns fatores como a metragem do local, o tipo do piso e os materiais utilizados na concepção inicial do projeto. 

Para a paisagista e técnica em meio ambiente, Aparecida França, os elementos decorativos desempenham um papel fundamental na composição de qualquer tipo de jardim. “As peças artesanais, como cachepots, são muito bem-vindas nesse tipo de ambiente, em contraponto, os móveis rústicos, de ferro ou madeira também trazem um bom resultado”. 

Mulher sorridente fala sobre jardim na varanda
A paisagista Aparecida França fala da importância dos elementos decorações na composição do jardim na varanda

Há várias formas de instalar flores e plantas em varandas e sacadas, com opções que vão desde treliças, ótimas para jardins verticais, até vasos para chão, que comportam plantas maiores, mas ainda assim, otimizam os espaços. Diferentes espécies permitem criar inúmeras composições e gerar resultados estéticos diversos para a sua decoração. 

É importante também observar qual a posição da luz solar, para decorar esse ambiente com o tipo de vegetação ideal. “Um ponto que, muitas vezes, é esquecido é a iluminação, que pode ser indireta na vegetação, por vezes obtida através de um simples refletor, mas que é um diferencial que enriquece em muito o ambiente”, esclarece Aparecida. 

Escolha o tipo ideal de jardim para você

A definição do jardim ideal para a sua varanda vai depender de inúmeros fatores, os principais são: espaço, formato e condições climáticas (luz, vento e sombra). Não adianta sair escolhendo vários tipos de plantas para a sua varanda sem antes considerar questões importantes, como o quanto o sol incide no interior do espaço, por exemplo, os locais que abrigam sombras e o quanto os ventos chegam ao local. Tudo isso influenciará na saúde de suas plantas, seja qual for as espécies delas. 

Diversos vasos de plantas em um jardim
A escolha das plantas deverá ser feita com base nas características da sua varanda em termos de incidência solar, vento e materiais da parede e piso

Atualmente, os jardins suspensos – também chamados de jardins verticais – são considerados uma ótima solução para apartamentos com varanda e muito usados nos projetos de designers. As plantas são distribuídas verticalmente pelas paredes da varanda, deixando o chão mais livre para outros elementos, portanto, é uma forma otimizada e criativa de decorar a casa. Na opinião de Aparecida, “ele traz um impacto visual interessante o qual, dependendo das espécies utilizadas, demanda uma manutenção reduzida. Para esse tipo de jardim sugiro espécies como, jiboias, peixinho, aspargo, ripisalis, entre outros”, indica a paisagista. 

Independente do tipo de jardim, a instalação requer alguns cuidados prévios. Para que as plantas possam crescer e se desenvolver bem, deve haver uma quantidade suficiente de iluminação natural e de água. E mesmo que as pessoas tomem todos os cuidados para escolher o local ideal para montar seu jardim, o cultivo de certas plantas pode não vingar. Isso porque nem todas têm condições de se desenvolver em ambientes fechados ou em locais apertados e com pouca luz – como são as varandas da maioria dos apartamentos. 

Para Niedja Rodrigues é preciso estar atento também aos cuidados com o plantio e a conservação das plantas. “Na hora do plantio é importante sempre entender qual substrato é adequado para a espécie escolhida. Vale checar também se o recipiente tem furo para saída de água e fazer uma boa drenagem com argila e manta geotêxtil. A adubação também é outro fator fundamental, pois sem nutrientes as plantas vão se debilitando aos poucos. Uma planta com a rega e a adubação em dia tem menos chance de ser infectada por parasitas, como pulgões e cochonilhas”, alerta a bióloga.

Não adianta escolher uma planta considerando apenas o aspecto visual, reflita sobre o que vai se adequar melhor ao local disponível. “Além da estética das folhas, é importante se preocupar com o volume das suas raízes e sua forma de crescimento, para que ela sobreviva dentro do jardim. A maioria das pessoas acaba comprando plantas por impulso, ou porque viram na casa de um amigo, e acabam frustradas quando elas não florescem, só que a umidade e a iluminação das casas são bem diferentes umas das outras”, alerta a bióloga.

Há algumas espécies que se adaptam melhor às varandas, porém, um nível mínimo de ventilação e claridade são imprescindíveis para qualquer planta. Em andares mais altos, por exemplo, é comum que o sol chegue sem grandes obstáculos, como fios, postes ou árvores. Com isso, é possível apostar em árvores frutíferas, como a romã, a pitanga e a jabuticaba. Já os andares mais baixos favorecem plantas que se desenvolvem bem em sombra ou meia sombra.

Um jardim construído dentro de casa exerce diversas funções e o contato com a natureza traz muitos benefícios para a saúde humana. Mais do que alegrar, ele também equilibra os interiores. As plantas podem fazer o controle térmico e sonoro dos espaços, além de limpar o ar local, retirando as impurezas e anulando energias ruins. Isso trará mais aconchego e boas energias para o lar. Fora que cantinhos verdes dão muito mais charme e vida aos ambientes!

Por: Juliana Marques

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE