PUBLICIDADE

Como a arquitetura e a decoração podem ajudar na criação de ambientes mais frescos?

Por Revista Síndico
Última atualização: 19/03/2021
,

Como a arquitetura e a decoração podem ajudar na criação de ambientes mais frescos?
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O verão chegou e trouxe com ele aquele calor que parece piorar a cada ano. Nestes dias, há quem não abra mão de um ar condicionado. O equipamento, no entanto, não é uma unanimidade, seja por questões de saúde ou financeiras, já que ele faz com que o preço da conta de luz suba bastante. No entanto, existem alternativas simples e relativamente mais baratas para aliviar as altas temperaturas.

De acordo com a arquiteta e urbanista Amanda Polo, antes de qualquer coisa, uma boa ideia é apostar em tecidos leves e naturais, como algodão e linho, em almofadas, tapetes, sofás e cortinas, por exemplo. O ideal é evitar os tecidos sintéticos, como veludo, e também peças em couro.

No projeto de Amanda Polo, a escola por cores claras garante maior sensação de frescor

“Se formos pensar em pisos, evite laminados e vinílicos, que normalmente passam uma sensação de aquecimento e aposte em porcelanatos. Se você é um apaixonado por pisos de madeira, vários modelos de porcelanatos já apresentam essa versão. E são fresquinhos”, explica a profissional, que é especialista em design de interiores e paisagismo e dona da página do Instagram @1001ideiasdecor.

Segundo ela, existem pequenos detalhes no planejamento de uma casa que fazem toda a diferença na questão térmica. “Se a sua casa tiver uma grande incidência de sol, por exemplo, o móvel escuro segura mais calor. Se escolher opções em tons claros, isso não acontecerá. Sobre a tinta, o princípio é o mesmo: quanto mais claro, maior a sensação de frescor”, destaca.

Aposte no uso de tecidos leves e naturais, como algodão e linho, em almofadas, tapetes, sofás e cortinas, como no projeto de Amanda Polo

Já com relação às lâmpadas, a melhor opção são as de Led, que não esquentam. Vale também escolher uma iluminação de neutra para branca fria, pois, embora não influencie diretamente na temperatura, dão a sensação maior de frescor. Cortinas também são boas alternativas para cômodos com grande incidência de sol, já que bloqueiam a luz e podem ajudar a evitar o superaquecimento do local.

“Na arquitetura, sempre nos preocupamos muito com o conforto térmico dos projetos. Então, antes mesmo de se falar muito sobre o aquecimento global essa já era uma preocupação ao pensar o design das casas. Com o tempo, aumentou, e fomos nos atualizando as necessidades de hoje em dia. Dá para adicionar ar condicionado? Dá. Mas também é importante pensar em outros fatores, como o gasto de energia. Por isso, a ventilação e a busca pelo conforto térmico são sempre focos dos arquitetos”, conclui Amanda.

 

Aquecimento global é desafio para o setor

Sócios no Studio Davini Castro, em São Paulo, a arquiteta Luizette Davini e o designer Rogério Castro têm uma grande preocupação com a questão térmica ao planejar os seus projetos. Segundo eles, o aquecimento global criou um desafio para os profissionais do segmento, que estão constantemente pensando em soluções para manter os espaços mais frescos, evitando o uso constante de ar condicionado.

“No caso das telhas, por exemplo, as claras são melhores, pois não absorvem o calor. Outra opção muito eficiente é a utilização, juntamente com as telhas, de subcobertura ou mantas térmicas, que reduzem a entrada da radiação solar. Existem no mercado as telhas isotérmicas ou telhas sanduíche, que são muito recomendadas para quem busca conforto térmico”, comenta Luizette.

Há ainda outras questões importantes que não podem passar despercebidas no momento do planejamento do imóvel: “Para dar um maior arejamento aos ambientes, faça uma implantação que invista na ventilação cruzada. Pés direitos altos, se possível, são bem-vindos. O posicionamento das aberturas também é importante.

A fachada leste é a mais fresca, pois é voltada para o sol da manhã. Evite o sol poente em ambientes de longa permanência. Já nas esquadrias que ficarão principalmente voltadas para o poente, planeje a utilização de vidros com películas térmicas, que traz uma boa melhora no controle de entrada de calor nos ambientes”, explica Castro.

 

Paisagismo é ponto de fundamental atenção

A própria natureza pode ser uma grande aliada quando a questão é tornar um ambiente mais fresco. A paisagista Rayra Lira afirma que a introdução de plantas e flores na decoração, por exemplo, faz toda a diferença. Segundo ela, as espécies de plantas mais indicadas para ter em casa são opções como jiboia, lírio da paz, maranta, costela de adão, pleomele e árvore da felicidade.

Para a paisagista Rayra Lira, a própria natureza pode ser uma grande aliada quando a questão é tornar um ambiente mais fresco

“São plantas resistentes, esteticamente bonitas e apropriadas para ambientes internos. Os benefícios para a saúde são muitos, como, por exemplo, a melhora da concentração, diminuição do estresse e do cansaço mental. As plantas podem reduzir os níveis de ansiedade e seu cheiro pode ajudar a melhorar a qualidade do sono e a produtividade durante o dia. Além disso, elas previnem irritações nos olhos, problemas respiratórios, dores de cabeça e a absorção de gases tóxicos do ambiente. Fora que auxiliam no controle da umidade,” diz a paisagista.

Já em relação às flores que podem deixar o ambiente mais refrescante, a profissional indica as espécies que sobressaem nos cantos ou varandas, como begônia, azaleia, calandiva, kalanchoe e lírio. Para cima da mesa ou mesinhas de centro, as indicações são espécies como orquídeas, antúrio e plantas de corte, como tulipa, gérbera, helicônia, tulipa e estrelízia.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE