PUBLICIDADE

Solidariedade que se multiplica durante a pandemia

Por Revista Síndico
Última atualização: 07/06/2021

solidariedade2
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Neste momento de combate ao novo coronavírus, a solidariedade se tornou uma das principais armas contra a pandemia. Solidariedade, de acordo com o dicionário, é um “sentimento de amor ou compaixão pelos necessitados e injustiçados. Qualidade de solidário, de quem está disposto a ajudar, acompanhar ou defender outra pessoa, numa dada circunstância”. E com base nesse princípio que uma corrente do bem tem se formado em todo país. 

Muitos voluntários têm se mobilizado para ajudar pessoas em estado de vulnerabilidade social, idosos, pessoas do grupo de risco, entre tantas outras. São inúmeras formas de ajudar e há sempre alguém que precisa dessa ajuda.  

Distribuição de alimentos, consultas gratuitas, leilões beneficentes, arrecadações em prol de quem necessita são apenas alguns exemplos de ações que milhares de pessoas estão promovendo para que tudo possa acabar logo ou, pelo menos, tornar mais suportável esse momento. São cidadãos e instituições se unindo para enfrentar e superar uma das maiores crises de saúde pública do mundo.

Conheça algumas dessas ações que se transformaram em correntes do bem:

 

Consultas gratuitas

Com a avalanche de notícias que aparecem todos os dias sobre o vírus, relatos de estresse, ansiedade e depressão são cada vez mais frequentes. Em um momento onde o acolhimento é extremamente necessário, um grupo de 35 psicólogos e psicanalistas formaram uma rede solidária de apoio. Com atendimento online e gratuito, o papel desses profissionais é escutar e dar esperança mostrando que existe sim uma luz no fim do túnel. Para aqueles que necessitam dessa ajuda, a plataforma Relações Simplificadas é o primeiro contato. Ali a pessoa faz um cadastro, agenda um horário com um profissional e aguarda o contato dele. As conversas acontecem individualmente por vídeo-chamada e duram 30 minutos. Além dessa plataforma, há também A Chave da Questão e o Centro de Valorização da Vida – CVV, que também são boas opções que oferecem esse tipo de apoio.

mulher segurando sacolas
A reunião de pessoas comprometidas é capaz de grandes feitos em prol da população que necessita especialmente de comida para sobreviver

Doação de Equipamentos de Proteção Individual – EPI’s

São inúmeras as ações onde empresas e cidadãos buscam dar o apoio necessário a quem está na linha de frente no enfrentamento à Covid-19. Alguns moradores de Campinas (SP) usaram seu tempo livre para produzir 1000 protetores faciais para doar ao Hospital de Clínicas (HC), da Unicamp, e ao Hospital Municipal Mário Gatti. 

Grandes empresas como a BRF e a JBS também abraçaram a causa realizando doações de aventais cirúrgicos, capas plásticas, kits de roupas descartáveis, máscaras cirúrgicas, entre outros equipamentos.

 

Doação de alimentos

Quem nunca ouviu a frase “a união faz a força”? Com muita garra e determinação, inúmeras campanhas estão sendo realizadas para arrecadar cestas básicas para aqueles que necessitam. De um simples morador a grandes empresas, todos estão em busca de ajudar o próximo. Entre eles, está o Grupo Carrefour Brasil que fez uma doação de R$15 milhões em cestas básicas e a Rede Urbanismo Contra o Corona, que busca arrecadar a cada 15 dias, 100 cestas com itens de alimentação e higiene. A Ação da Cidadania também faz esse trabalho há anos e está sempre em busca de doações e voluntários dispostos a ajudar em suas campanhas. 

 

Distribuição de refeições

O coração se enche de amor ao pensar nos heróis da saúde. Eles, que estão à frente de toda a batalha, se arriscam por nós na luta diária para salvar vidas todos os dias. Foi pensando nessas pessoas que surgiram iniciativas como o projeto Nosso Prato criado pela Central de Cozinha, pelo núcleo de eventos Mundo Mesa e pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel)

Para ajudar, basta entrar no site e “comprar” de 1 a 30 pratos, no valor de R$9 cada, como forma de doação. Do valor arrecadado, 1% vai para os restaurantes cadastrados que produzem as refeições diárias e na sequência, os pratos são enviados a profissionais de saúde e ONGs. Uma única ação que ajuda tanta gente e ainda gera oportunidade aos trabalhadores de restaurantes.

 

Como ajudar? 

Engana-se quem pensa que apenas as grandes empresas conseguem ajudar os mais necessitados. As ações individuais também fazem a diferença na vida de muita gente. Por isso, aqui vão algumas dicas para você fazer o bem com segurança e com a certeza de que causará um impacto significativo na vida de alguém. 

 

Fique em Casa: aplicativo para ajudar as pessoas do grupo de risco a permanecerem em suas casas. Ao se cadastrar, você se coloca à disposição para fazer compras, ir à farmácia, pagar contas ou outras necessidades para as pessoas que não podem sair de casa.

 

Viver Fraternidade: uma organização de ajuda humanitária internacional que atua nos lugares mais pobres do planeta com o objetivo de ajudar a acabar com a fome e outras desigualdades. Neste momento de pandemia, eles necessitam ainda mais de ajuda.

 

Hospital das Clínicas: plataforma de um dos principais hospitais paulistanos para recolher doações que serão destinadas a projetos como compra de máscaras e equipamentos de proteção, aquisição de respiradores artificiais e apoio a pesquisas sobre a Covid-19.

 

Eu ajudo como dá: grupo de voluntários que ajuda pessoas em situação de vulnerabilidade e profissionais autônomos que viram sua renda despencar durante a pandemia. São doações de refeições, itens de higiene, água, cobertores a moradores de rua e cestas de alimentos às famílias em situação de vulnerabilidade em comunidades do Rio de Janeiro.

 

A pandemia que mudou a vida do mundo inteiro nos ensinou novos modelos de trabalho, hábitos, valores e, acima de tudo, mostrou para as pessoas que a solidariedade pode ser a aliada mais poderosa contra a crise trazida pela pandemia. Estudos científicos mostram que ajudar os outros impulsiona a felicidade. Ao agir em prol do próximo, o corpo libera oxitocina, um hormônio que ameniza as emoções negativas, gerando uma sensação de bem-estar e ativando os centros de recompensa do cérebro. Em um momento como este, onde a pandemia causa estragos na saúde mental e social, nada melhor do que estimular a sua solidariedade. Faça isso!

 

Confira o vídeo da campanha Brasil sem Fome, do grupo Ação da Cidadania

 

 

Por: Juliana Marques

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE