PUBLICIDADE

Nova alta no preço de imóveis + 6 dicas para vender o seu imóvel!

Por Revista Síndico
Última atualização: 21/12/2020

Sala arrumada para venda
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Índice FipeZap apresentou avanço de 0,45% no preço de imóveis em novembro, ante avanço de 0,43% computado em outubro. A variação mensal do índice foi inferior ao comportamento esperado do IPCA/IBGE para o mês (+0,62%), de acordo com expectativa publicada no último Boletim Focus do Banco Central do Brasil. Confirmada a variação esperada dos preços ao consumidor, o valor médio de venda de imóveis residenciais terminará o referido mês com queda de 0,17%, em termos reais.

À exceção de Campo Grande (-0,07%) e Belo Horizonte (-0,08%), onde os preços ficaram praticamente estáveis, as outras capitais monitoradas pelo Índice FipeZap apresentaram elevação do preço médio de venda de imóveis residenciais no último mês. Destacam-se variações em Manaus (+1,23%), Recife (+1,22%), Curitiba (+1,06%), Vitória (+1,05%), Maceió (+1,04%), Goiânia (+0,97%) e João Pessoa (+0,94%). Em São Paulo e no Rio de Janeiro, municípios com maior peso na composição do Índice, a variação nominal registrada em novembro foi de +0,31%.

Balanço parcial do ano

Até novembro de 2020, o FipeZap acumula alta nominal de 3,21%, diante de uma variação de +2,85% esperada para o IPCA/IBGE nesse período. Na comparação entre a variação acumulada do Índice FipeZap e a inflação esperada, a expectativa é que o preço médio de venda dos imóveis termine o período com alta real de 0,35%. À exceção de Recife, onde o preço médio de venda residencial acumula queda de 0,96% no ano, as demais capitais brasileiras monitoradas apresentaram avanço no período.

As variações observadas em Brasília (+9,16%), Curitiba (+7,47%), Manaus (+5,95%), Maceió (+5,94%), Florianópolis (+5,94%), Vitória (+5,71%) e Campo Grande (+5,0%) são os destaques. Em São Paulo e no Rio de Janeiro, os preços médios de venda residencial encerraram o período com altas acumuladas de 3,40% e 1,30%, respectivamente.

Últimos 12 meses

Nos últimos 12 meses, o Índice FipeZap de Venda Residencial acumula um avanço nominal de 3,19%. Quando comparado à inflação acumulada nos últimos 12 meses (+4,03%), de acordo com o IPCA (IBGE), o índice exibe queda real de 0,81%. Entre as capitais monitoradas pelo FipeZap, Brasília acumula o maior aumento nominal (+9,05%), em seguida vem Curitiba (+7,74%), Vitória (+6,34%), Florianópolis (+6,24%), Campo Grande (+5,25%), Maceió (+5,02%) e Belo Horizonte (+4,19%).

Por outro lado, Fortaleza acumula a maior queda no preço médio das capitais (-1,32%), sendo acompanhada por Recife (-0,56%). Em São Paulo e no Rio de Janeiro, as variações acumuladas revelam altas de 3,64% e 1,13% no preço médio, respectivamente.

Preço médio de venda residencial dos imóveis em novembro

Tendo como base a amostra de imóveis residenciais anunciados para venda em novembro de 2020, o preço médio calculado foi de R$ 7.455/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo FipeZap. Dentre as capitais monitoradas pelo Índice, Rio de Janeiro apresentou o preço de venda mais elevado (R$ 9.409/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.294/m²) e Brasília (R$ 7.988/m²). Entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m² no mês, incluem-se Campo Grande (R$ 4.339/m²), Goiânia (R$ 4.446/m²) e João Pessoa (R$ 4.473/m²).

6 dicas para ajudar a vender seu imóvel

 

Corretores e proprietários que desejam vender seu imóvel precisam ter atenção e cuidado na hora de anunciar. Apresentar imóveis é mais do que colocar algumas fotos na internet. As pessoas querem ver as imagens, ler detalhes, saber o valor correto, a localização certa, entre outras informações. Um anúncio bem feito ajuda a atrair interessados com mais chances de comprar o imóvel.

E depois que você recebe um contato? Como proceder? Se você ainda não sabe o que fazer para criar um anúncio completo e bem feito, além dos próximos passos depois que um possível comprador demonstra interesse, confira as dicas que separamos.

1 – Forneça o endereço completo do imóvel

Localização já é algo que as pessoas costumam lidar online. As experiências com o local certo variam em diversos tipos de aplicativos, sejam naqueles voltados para deslocamento, como Uber, mapas, como Google Maps, de entrega de refeições, como iFood, entre vários outros. Nos anúncios online, o endereço completo pode aumentar em até 339% as chances do seu imóvel receber contatos de interessados.

2 – Faça uma descrição detalhada do imóvel

Um anúncio com uma descrição bem feita atrai, em média, 90% mais contatos do que os que não possuem uma descrição boa. A descrição precisa cativar o interessado no imóvel. Para que esse objetivo seja alcançado, procure ter o máximo de cuidado com a escrita. Fique atento aos erros de português e evite descrições como:

Apartamento com 80m², 2 quartos, 2 banheiros, sala e cozinha.

Apto c/ 80m², c/ 2 wc e 1 vaga.

AP Bela Vista, 2st, 1 qt, 2car, al. R$2000 s/ IPTU

APARTAMENTO COM 3 DORMITÓRIOS, 2 SUÍTE E 1 BANHEIRO.

Detalhe as características do seu imóvel, não deixe de fora os diferenciais. Invista realmente em um texto que além de mostrar o que as fotos mostram, acrescenta informações que não estão nas imagens.

3 – Deixe bem claro os valores

Não tem nada mais decepcionante do que ver o preço de um produto e descobrir que na verdade custa outro valor. O mesmo sentimento acontece quando uma pessoa interessada no imóvel entra em contato com você e descobre que o preço não é o que está divulgado no anúncio, por isso divulgue os valores reais para vender seu imóvel. Essa dica se aplica também para o IPTU e o condomínio. Assim você atrairá de fato as pessoas interessadas naquela faixa de preço.

4 – Capriche nas fotos para vender seu imóvel

foto de uma sala arrumada
As fotos precisam ser claras e com um bom enquadramento

As fotos são muito importantes em um anúncio. As boas imagens são as que:

  • Tem um enquadramento mais aberto para mostrar bem os ambientes;
  • Mostram as áreas internas e externas;
  • Não são escuras ou desfocadas. Uma boa iluminação deixa as fotos mais atraentes, por isso aproveite a luz do dia para tirá-las.

Poste as fotos como se a pessoa estivesse entrando pelo seu imóvel. No geral, as pessoas dão de cara com a sala, depois o corredor para os outros ambientes, e assim por diante. Tente oferecer a experiência de uma visita por meio de imagens.

5 – Fique a postos para as visitas

Se você anunciou seu imóvel é porque está pronto para receber visitas, certo? Então esteja disponível para os interessados. Caso não consiga no horário que a pessoa pede, sugira outro. Além disso, evite deixar o imóvel desorganizado. Tente passar a melhor impressão. Se estiver acontecendo algum reparo ou reforma, explique ao interessado. Tire todas as dúvidas dele.

Não esqueça que o imóvel é um grande investimento e é natural que as pessoas queiram saber detalhes sobre o que estão comprando. Além disso, em tempos de pandemia, fica atento aos protocolos de higiene sugeridos pela Organização Mundial da Saúde e pelo próprio país. Assim você garante uma visita segura.

6 – Tenha os documentos prontos para vender seu imóvel

Documentos em dia e de fácil acesso.

Para vender seu imóvel são necessários alguns documentos. Tenha todos eles em mãos. Depois de anunciado, a qualquer hora uma pessoa pode querer comprar. Fique atento a:

  • Autorização de venda;
  • Cópias da matrícula atualizada;
  • Carnê do IPTU;
  • Certidões dos proprietários.

Assim você já facilita a parte burocrática da negociação.

Fonte: zapimoveis.com.br

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE