PUBLICIDADE

Faça você mesmo: ideias criativas de decoração

Por Revista Síndico
Última atualização: 18/05/2021

banner-decoracao
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Uma das tendências mais utilizadas nos últimos tempos no meio da decoração é o DIY (em inglês “do it your self”). Você provavelmente já deve ter se deparado com essa sigla que, traduzida para o português, significa “faça você mesmo” e que tem ganhado cada vez mais força. 

Mais do que um simples termo, o DIY se tornou um estilo de vida e um movimento que incentiva a criação de seus próprios produtos, como móveis, objetos de decoração, roupas e até equipamentos eletrônicos. No geral, o termo refere-se a qualquer coisa projetada, modificada ou fabricada pela própria pessoa, sem a ajuda de profissionais. 

O DIY teria surgido nos Estados Unidos em 1950, quando as pessoas encontraram formas de realizar pequenas reformas e melhoramentos em suas residências sem a necessidade de profissionais especializados. Além disso, a prática inclui a produção de artesanatos, pinturas e a construção como forma recreativa, visando a redução de custos de uma maneira geral. 

O movimento se difundiu tanto que, hoje, já é realidade na vida de muita gente. O que não faltam são pessoas economizando mão de obra e colocando a mão na massa. Além da economia, o conceito é importante para a preservação do meio ambiente. Afinal, muito objetos que iam para o lixo passaram a ser reaproveitados com o DIY.

O DIY é bem amplo e, portanto, pode ser aplicado de diversas formas. Em primeiro lugar, é importante ter em mente que você não precisa ser um expert no assunto. Basta procurar por conhecimento e métodos alternativos para realizar a tarefa. 

O conceito também vem sendo incorporado cada vez mais nas empresas, especialmente as fornecedoras de produtos, como a Nestlé, dona da marca de leite condensado Moça, que já investiu em uma embalagem em que os consumidores podiam transformar o produto em diversos itens de decoração. O próprio site e redes sociais da marca ofereciam dicas para quem quisesse reaproveitar o item em casa. 

No entanto, quando o assunto é decoração, vale ressaltar que os gastos exagerados podem ser evitados. Decoração e sustentabilidade nunca andaram tão juntas. A reutilização de objetos que muitas vezes seriam descartados permanece em alta, trazendo personalidade e economia no visual do lar. 

Para a publicitária e personal organizer, Paula Motta, mais do que um estilo de vida, os objetos personalizados e criados por conta própria tornam o ambiente ainda mais aconchegante e ajudam no trabalho de organização. “Quando monto um projeto de organização para um cliente, a primeira orientação que dou é o reaproveitamento de objetos que estão em casa e muitas vezes sem uso. Isso facilita a organização e dá um toque ainda mais pessoal na arrumação”, afirma.

mulher sorrindo
Para a publicitária e personal organizer, Paula Motta, mais do que um estilo de vida, os objetos personalizados e criados por conta própria tornam o ambiente ainda mais aconchegante e ajudam no trabalho de organização.

Com boas ideias, criatividade e boa vontade, decorar uma casa com móveis e objetos feitos por você mesmo através de trabalhos manuais tornam o resultado ainda mais exclusivo e charmoso. A atenção aos pequenos detalhes e a satisfação em fazer um próprio, dando um novo toque ao ambiente, é o ponto de partida para esse movimento.

No caso da artesã Rosana Sanches, a prática veio do desejo de reaproveitar objetos antigos e sem uso dentro de casa e que acabou se transformando em uma oportunidade de negócio. “Quis colocar em prática os conhecimentos que adquiri em um curso de artesanato criativo e com o tempo percebi que podia ganhar dinheiro com isso”. A Rosana começou a transformar pequenos objetos que tinha em casa, como garrafas, caixas de leite, pequenos potes e painéis, em itens de decoração, como mandalas, quadros e jarros pintados. 

Mulher sorrindo
Rosana começou pensando apenas no reaproveitamento de materiais dentro de casa, e hoje já transformou sua criatividade na decoração em negócio

“Trabalhar com as mãos é uma terapia para mim e além disso, consigo garantir uma renda extra para a minha família com a venda desses produtos”, finaliza a artesã. Hoje, Rosana expõe sua mercadoria em uma feira livre uma vez por semana e trabalha em casa para atender às encomendas que recebe das suas criações. 

A ideia do “faça você mesmo” se baseia muito na independência das pessoas em encontrarem soluções práticas e originais para problemas domésticos do dia a dia aliados à alguma necessidade ou simplesmente ao desejo de praticar uma nova atividade. Para Paula Motta, a utilização de objetos feitos pela própria pessoa pode ajudar até na organização de uma casa. 

“Prefiro sempre sugerir para os meus clientes soluções simples, práticas e com o menor custo possível. Uma bandeja para organizar pequenos objetos na cômoda, por exemplo, pode ser feita com um pedaço de espelho e pérolas aplicadas na lateral. Ou que tal reaproveitar aqueles rolos de papel higiênico que iam para o lixo para organizar anéis? Em poucas horas você pode transformar itens que seriam descartados para organizar e decorar a sua casa.” 

De arrumação da casa à criação dos próprios objetos de decoração, o DIY está aí para ajudar não apenas quem quer trabalhar a criatividade, como também as pessoas que querem gastar menos.

Atualmente, é possível encontrar diversos canais no YouTube com tutoriais no estilo “faça você mesmo”, assim como sites e blogs especializados no assunto. Muitos deles, ensinam gratuitamente tarefas que até então podem parecer difíceis para um leigo, mas que na prática podem melhorar a vida das pessoas e até mesmo contribuir para a geração de renda. 

mulher fazendo artesanato
O DIY inclui a produção de artesanatos, pinturas e a construção como forma recreativa

Se você se interessa por esse estilo, gosta de criar objetos diferentes, personalizados e de acordo com seus gostos pessoais, vale a pena conferir os sites que listamos abaixo onde você vai encontrar tudo isso e muito mais!

 

Conheça 4 canais no YouTube para aprender de tudo sem sair de casa:

 

Fonte: Juliana Marques

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE