PUBLICIDADE

Você já ouviu falar em decoração Japandi?

Por Revista Síndico
Última atualização: 14/09/2021

capa-decoracao-japandi
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O nome até que é esquisito, mas o estilo já virou o queridinho no design de interiores. A promessa é de criar ambientes simples, clean, confortáveis mas, sobretudo, funcionais. Uma verdadeira mistura entre o minimalismo japonês com inspirações escandinavas. 

 

No Japandi, o mantra sempre será “menos é mais”. Você nunca verá locais atolados de móveis, acessórios expostos sem alguma utilidade, peças rebuscadas ou cores chamativas. O caminho é exatamente o inverso: só calmaria e tranquilidade! Vem de vertentes totalmente diferentes, mas que ao mesmo tempo também conseguem ser complementares. 

 

De um lado a Wabi-sabi, filosofia milenar japonesa que busca encontrar beleza na imperfeição através da rusticidade. O estilo pode ser identificado em artes orientais, como no bonsai (representação em miniatura da natureza, na forma de uma árvore), e no ikebana, tradicional arranjo floral japonês. Do outro lado, o Hygge, palavra de origem dinamarquesa, que tem a ver mais com acolhimento, bem-estar, conforto, relaxamento e liberdade. 

sala
Na sala de estar, uma mistura do estilo oriental com texturas escandinavas, que garantem conforto e relaxamento
@vivadecorabr

Ou seja, está muito mais ligado à experiência de aproveitar o melhor da vida do que efetivamente a um estilo de decoração. Um lifestyle, com certeza. Não é à toa que, segundo o Relatório da Felicidade Mundial, desenvolvido pela Gallup, a Dinamarca foi considerada, em 2021, um dos três países mais felizes do mundo – só atrás da Finlândia e Islândia!

 

Especialistas defendem que a reclusão forçada desde março de 2020, com o início da pandemia do Coronavírus, fez crescer ainda mais esse estilo nas moradias. Afinal, o resultado do uso de elementos tradicionais do Japandi acaba contribuindo para deixar o ambiente familiar mais aconchegante e com grande apelo afetivo.  Uma das redes sociais mais badaladas por quem gosta de buscar inspirações através do compartilhamento de imagens temáticas, o Pinterest, comprova esse cenário – em dezembro de 2020, a rede divulgou um relatório completo que trazia as previsões de tendências sobre lifestyle para este ano. E adivinhe quais categorias se destacaram? Sim, lar e decoração. 

 

Em mostras de decoração e arquitetura pelo país afora o estilo Japandi também tem crescido consideravelmente. Como no projeto do escritório de Emanuella Wojcikiewicz, presente na edição 2021 do Casa Cor SC, em Florianópolis, para o ambiente Café + Um. Optou-se pelo uso de tons claros e bastante leveza na escolha dos elementos para trazer serenidade na hora do consumo dos alimentos e leitura. O estilo Japandi entrou potencializando-se com recursos da arquitetura brasileira, como o uso de madeiras de reflorestamento, concreto armado e vegetação nativa. A cor criou seu manto através da luz neon, criando uma ambiência agradável e uma experiência sensorial poderosa.

apartamento
Base em cores neutras, elementos naturais e sóbrios
@lillyrosed

Para te ajudar a entender melhor o estilo Japandi, a gente traz os 5 traços mais marcantes presentes neste tipo de decoração:

  • As cores

Lembrando o hibridismo do estilo Japandi, os projetos podem apresentar bases bem neutras e naturais, através de brancos, cinzas, marrons e beges, mas também contemplar contrastes inusitados com ocre, camelo e até azul da Prússia. É possível ainda promover combinações entre cores mais frias, como rosa ou verde, com tonalidades terrosas e de madeira, trazidas pelos móveis e acessórios instalados no ambiente. 

  • Os materiais

Elementos naturais são a inspiração deste tipo de decoração – madeira, vime, bambu, cerâmica etc. – tornando o ambiente ainda mais aconchegante. Já a afetividade aparece através da escolha de peças artesanais e que tenham algum significado pessoal para o morador, como tapetes, almofadas, obras de arte etc. Os tecidos também podem contribuir para a sensação de acolhimento, daí o uso de tricô, crochê, linho e algodão são perfeitos!

  • O mobiliário

Nada de excessos ou desperdício. Aqui, a regra é priorizar por móveis de qualidade, duráveis e atemporais. Suas linhas retas garantem a simplicidade que o ambiente precisa, minimalismo na veia. Tudo o que está no ambiente deve ter a sua utilidade, inclusive contribuindo para o quesito organização. 

 

Uma das referências mais presentes – desta vez, inspirada pelo estilo oriental – é o uso de peças mais baixas e próximas ao chão, tais como camas, sofás e mesas. Combinadas lado a lado com móveis na linha escandinava, estofados com cores neutras e naturais, criam a atmosfera exclusiva Japandi

  • As plantas

Esqueça os verdadeiros jardins indoor dos outros estilos. Aqui, o uso de plantas é pensado milimetricamente para não pesar no ambiente. Algumas vezes, servem como pontos de cor aqui e ali para contrastar com uma base neutra. Não é raro, inclusive, que as espécies sejam escolhidas pensando-se mais pela sua estrutura e design, instaladas em vasos modernos e visualmente atraentes. É bastante comum o uso de samambaias, zamioculcas, jibóias e peperômias. 

sala
No Japandi, as plantas são usadas como pontos de cor na decoração, de forma bastante simplificada
@fashionbubblesoficial

Por outro lado, seguindo o toque Wabi-Sabi, o uso de arranjos secos ou florais, bem como a aplicação de técnicas como a Ikebana e a Kokedama (técnica japonesa que envolve a planta dentro de uma esfera formada por musgos, substratos e argila), também disputam o seu espaço no projeto. Sempre de forma leve e harmônica. 

  • A iluminação

No Japandi, há a busca constante para que seja explorada uma integração suave entre os ambientes interno e externo. Neste caso, uma boa iluminação natural pode ser a chave para vencer esse desafio – invista em janelas amplas, clarabóias, portas francesas, paredes de vidro e cortinas leves para deixar a luz entrar.  Nas luminárias, novamente a maravilha deste estilo único – você pode escolher desde peças com design moderno às tradicionais lanternas japonesas. 

 

Por: Cintia Laport

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE