PUBLICIDADE

Um refresco no verão com bandeira vermelha

Por Revista Síndico
Última atualização: 15/12/2021

Priscila2
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O verão começa no próximo dia 21 e, neste ano, muita gente vai precisar usar a criatividade para conseguir se livrar das altas temperaturas. O problema está na grave crise hídrica que afeta o país e vem fazendo com que a tarifa de energia elétrica passe por sucessivos reajustes. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) prevê um aumento de 21% na conta de luz no ano que vem. Neste cenário, o ar condicionado acaba se tornando um vilão e muitas vezes inacessível para o cotidiano de algumas famílias. 

Projeto de uma casa na praia desenvolvido pela arquiteta Priscilla Tressino

Especialistas, no entanto, afirmam que existem maneiras mais baratas a longo prazo para amenizar o calor e que não necessitam de energia elétrica. A arquiteta Priscila Tressino, por exemplo, diz que algumas adaptações podem ser feitas sem a necessidade de modificar a estrutura já construída, como: o isolamento térmico de forros e telhas, o preenchimento com argila expandida na laje, que absorve o calor, e os telhados verdes (feitos como um jardim). 

Já nos vidros, a instalação de películas ajuda a diminuir a incidência de raios UV. Para o piso, o indicado é usar materiais como o porcelanato. “Acho que um bom projeto sempre preza pelo conforto em todos os sentidos, mas o térmico é determinante, desde a orientação da implantação no terreno em relação ao sol, na especificação de materiais construtivos e de acabamento, na localização e dimensionamento de aberturas, como portas e janelas. Independentemente do uso de ar condicionado, o conjunto desses itens deve oferecer condições agradáveis de uso do espaço”, comenta a profissional. 

Ela diz que existem erros que podem agravar a situação térmica, como, por exemplo, portas, janelas ou aberturas zenitais (para a entrada de luz natural) muito pequenas ou mal posicionadas. Fora isso, pé direito baixo, telhado sem forro e isolamento térmico e envidraçamento sem película de proteção solar também são complicadores.

homem de preto sorrindo
Sylvio Pinheiro é arquiteto e dá algumas dicas simples: aplicar cores claras nos ambientes, utilizar plantas na decoração e priorizar os modelos de LED nas lâmpadas 

O arquiteto Sylvio Pinheiro cita algumas medidas ainda mais simples que também ajudam para o conforto térmico do local. Uma delas é desligar os aparelhos eletrônicos da tomada. Além de gastarem energia no modo de descanso, eles também costumam esquentar, o que torna o local mais abafado. “Além disso, dê preferência para as cores claras. Outra recomendação é colocar plantas no quarto e na sala, porque elas ajudam a manter uma temperatura amena nos ambientes e também ficam lindas na decoração. Lâmpadas muito quentes aumentam a temperatura do quarto. Na hora de escolher as luzes do seu ambiente, priorize os modelos de LED ou fluorescentes, que também são mais econômicos e ecológicos. Vale, ainda, apostar em espaços com poucos móveis”, acrescenta. 

 

Circulação de ar é questão estratégica 

Designer de interiores e integrante da Associação de Decoração do Estado de São Paulo (Adesp), Daniela Colnaghi explica que um dos pontos fundamentais para amenizar o calor num ambiente é a circulação de ar: “É preciso pensar a questão de vazão do ar quente, acima, e a entrada cruzada de ar frio, com janelas baixas. Veja que na história das construções de igrejas ou torres, as entradas e saídas e ar eram estratégicas para circulação e vazão. Outros pontos importantes são utilizar revestimentos corretos nas paredes e se adequar ao nascer e pôr do sol, pois sua casa pode sofrer com paredes quentes ou frias demais”, explica. 

mulher de preto
A designer de interiores, Daniela Colnaghi, lembra que um dos pontos fundamentais para amenizar o calor em um ambiente é a atenção na circulação de ar

Com relação aos materiais indicados, ela acrescenta: “Cada vez mais, novos materiais são lançados no mercado com o objetivo de sanar estas questões (térmicas), no entanto, muitos já são utilizados há muito tempo como alternativa econômica e viável, como, por exemplo, os cobogós (elementos vazados que completam a parede) de concreto ou cerâmicos. Eles são lindos, trazem um efeito decorativo e charmoso e ainda são funcionais, seja pela vazão de ar ou a privacidade no ambiente”, destaca a profissional. 

 

Quando abrir mão do ar condicionado não é uma opção, cuidados amenizam gastos 

Mesmo com a tarifa energética nas alturas, para algumas pessoas abrir mão do ar condicionado é algo fora de cogitação. No entanto, mesmo quem utiliza o equipamento pode tomar alguns cuidados que ajudam a economizar na conta de luz. De acordo com a engenheira civil Flávia Cristina Duque, do Grupo BR Work (especializado em obras e soluções para empresas), o primeiro passo neste sentido é saber escolher o modelo do equipamento: “O melhor modelo são os do tipo “inverter”. Eles funcionam de forma contínua, estável e sem oscilações, ou seja, não precisa ligar e desligar durante o funcionamento. Como eles atingem a temperatura ideal mais rápido e mantém ela constante, isso pode refletir em uma economia de até 60% no consumo energético, dependendo do aparelho”, explica.

A partir da escolha do modelo, existem outras medidas que geram economia: “As principais dicas para manter a qualidade e economia são deixar a manutenção em dia, mantendo sempre limpo. Além disso, é importante instalar na parte mais alta do cômodo, manter portas e janelas fechadas e proteger o ambiente da incidência solar. Isso não só ajuda na conta como aumenta a vida útil do aparelho           

E também existem erros que precisam ser evitados, ela aponta: “O erro mais comum que nós da engenharia encontramos é a capacidade inadequada do aparelho no ambiente. Quando a potência não é suficiente para o local, ele funciona constantemente sobrecarregado e necessita de uma maior carga elétrica. Em alguns casos, percebemos que não é dada importância para as instalações elétricas. Cada aparelho necessita de um único e exclusivo disjuntor no quadro de força. Isso evita sobrecarga no sistema”, ressalta a especialista. 

 

Dicas para deixar o ambiente mais fresco sem encarecer a conta de luz 

– Para a parte superior do imóvel, o isolamento térmico de forros e telhas e os telhados verdes (cobertos com vegetação) são opções para refrescar o ambiente. Com relação a laje, uma boa alternativa é o preenchimento com argila expandida, que absorve o calor;

– Nos vidros, a instalação de películas com proteção solar ajuda a diminuir a incidência de raios UV;

– Na parede, os cobogós (elementos vazados que completam a parede) de concreto ou cerâmicos são muito eficazes;

– Outra medida simples, mas eficaz, é desligar os aparelhos eletrônicos da tomada. Além de gastarem energia no modo de descanso, eles também costumam esquentar, o que torna o local mais abafado;

– Plantas no ambiente também ajudam a manter uma temperatura amena;

– Lâmpadas muito quentes aumentam a temperatura do quarto. Na hora de escolher as luzes do ambiente, priorize os modelos de LED ou fluorescentes, que também são mais econômicos e ecológicos. 

 

Por: Gabriel Menezes

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE