PUBLICIDADE

É tempo de revolução

Por Revista Síndico
Última atualização: 15/06/2022

business-concept-with-team-close-up (1)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Há uma verdadeira revolução em andamento no universo condominial. E ela não ocorre num ponto específico, mas de forma diversa em todo o ecossistema relacionado à área. As transformações unem tecnologia e desburocratização para facilitar e tornar mais econômicas necessidades como reformas e manutenção, consumo de energia elétrica e a própria administração do condomínio.

De acordo com Edgar Poschetzky, gerente geral de Condomínios da APSA, o grande motivador para essas transformações é a possibilidade de se gastar menos. “Condomínio é rateio de despesas, então estamos sempre preocupados em fazer mais com menos. A ideia é oferecer um melhor serviço com redução de custos”, frisa.

Entre as mudanças desta nova mentalidade, a APSA lança um novo modelo de gestão condominial. “É a independência financeira do Condomínio!”, com a garantia de 100% da receita no dia do vencimento, sem nenhum custo ou deságio. “Colocamos essa proposta em prática efetivamente no início de 2022.  Ela tem sido um grande sucesso e um atrativo para novos clientes. Com o programa, conseguimos garantir a integralidade da receita. Assim, as possibilidades de economia são enormes e não haverá imprevistos”, explica. Ainda há a inadimplência, que é uma questão atual e que cria muitos problemas para o síndico, mas a nova proposta não impede a possibilidade do condomínio se planejar, honrar seus compromissos e fazer novos investimentos.

 

Uma plataforma de gestão totalmente digital

Com uma experiência pioneira em soluções digitais para condomínios, a Doitt possui uma plataforma de gestão condominial que funciona na modalidade SaaS (Software as a Service, que necessita apenas de uma conexão com a internet). Ela é focada em síndicos profissionais e imobiliárias, permitindo que estes se tornem administradoras de condomínio, além de admitir também administradoras já consolidadas otimizando processos e reduzindo custos operacionais.

Mais de R$2,4 milhões foram investidos no desenvolvimento da solução, que espera recepcionar em seu ambiente em torno de 600 condomínios no primeiro ano de operação. Ao ajudar síndicos profissionais a se tornarem administradoras de condomínios, o ecossistema Doitt permite a geração de receita adicional superior a R$ 30 mil mensais para este público, em alguns casos.

De acordo com João Guilherme Cardoso Paulo, Head of Growth da plataforma, o conceito Doitt vem de “Do it together” (Fazer junto). “Ela se propõe a oferecer um ambiente de gestão condominial 100% digital, promovendo um ecossistema colaborativo que oferece cashback aos seus clientes. A Doitt cresce se nossos clientes crescem e prosperam. Outro ponto de destaque é o formato de terceirização de serviços operacionais, como contas a pagar e departamento pessoal, onde é possível realizar a gestão condominial deixando que essa parte seja realizada pela própria plataforma”, explica.

Entre as soluções que trazem mais transparência e praticidade oferecidas pela plataforma, estão, por exemplo, a consulta a dados básicos de condomínios e condôminos, como normas gerais e documentos diversos; acesso a informações e contracheques de funcionários; acesso a convenções, regulamentos e documentos diversos digitais, pastas de prestações de contas digitais, além do acompanhamento de solicitações realizadas à administradora. Já para as administradoras, possibilita melhores práticas de compliance regulatório; remuneração dos saldos condominiais, redução de tarifas bancárias e acesso a linhas de crédito exclusivas.

 

Mais eficiência para reformas e manutenções

As reformas e manutenções são sempre pontos sensíveis dentro de um condomínio. E neste sentido, também há iniciativas que vêm profissionalizando todo o processo de uma forma nunca antes vista no mercado. Uma delas é a Refera, startup que automatiza a gestão desses serviços para imobiliárias e condomínios. Com cerca de um ano e meio em atividade, ela atua hoje em 51 cidades em 11 estados, com quase 190 mil contratos de locação, sendo mais de 90 imobiliárias.

De acordo com o CEO da Refera, Lucas Madalosso, a startup não faz simplesmente o trabalho de um marketplace, que conecta as pessoas, por exemplo, o prestador de serviço e um eventual cliente. “A gente faz a gestão do chamado de ponta a ponta, desde a abertura do pedido até a garantia de obra. É uma camada de suporte com pessoas experientes no mercado imobiliário e amparada por uma tecnologia que foi desenvolvida especificamente para isso”.

 

Mercado livre de energia se populariza

Outra revolução que vem se popularizando entre condomínios é o mercado livre de energia. A modalidade, que já existe há anos para grandes empresas e indústrias, vem sendo ampliada para o setor imobiliário. O modelo consiste na compra de energia diretamente de um gerador de energia limpa ao invés da concessionária da região. Com isso, o condomínio consegue uma redução de até 20% no valor da conta e, também, por meio de contratos a longo prazo, fica protegido aos altos e baixos das tarifas como os ocorridos no Brasil nos últimos meses.

De acordo com Flávio Lima, CEO da Acende Energia, empresa especializada em soluções de eficiência energética para empresas e condomínios, para aderir ao sistema é preciso seguir alguns pré-requisitos. “Um dos pontos é que existe um volume mínimo de consumo para viabilizar a adesão ao mercado livre. Um edifício condominial sozinho geralmente não consegue atingir essa quantidade de gasto. A nossa empresa, então, agrega cargas e assim possibilita que os condomínios migrem”, diz.

A empresa está desenvolvendo uma parceria com as administradoras para popularizar mais o mercado livre para o setor, oferecendo condições especiais aos condomínios atendidos por elas. “Além disso, trabalhamos com medidores inteligentes, que ajudam ainda mais na redução de gastos ao permitir que as pessoas entendam exatamente de onde eles estão vindo”.

 

Tecnologia em prol das finanças

A área financeira dos condomínios é outra que vem passando por uma grande transformação, com novas soluções criadas por meio de tecnologias de informação e contas digitais. Uma delas é a Wohpag, fintech especializada em contas de pagamento para gestão condominial e mercado imobiliário.

Ela foi criada em 2020 por profissionais egressos de grandes empresas de gestão condominial do Brasil. “Nossos serviços também contemplam a garantia das receitas dos condomínios com o fim da inadimplência, o pagamento de cotas e despesas com a utilização de cartões de crédito e de débito, além da contratação de empréstimos. Tudo isso em nossas plataformas digitais ou diretamente no site/app das administradoras e plataformas de gestão condominial. Chegamos com tarifas atrativas, desburocratização de processos, maior eficiência financeira e uma consultoria técnica personalizada e exclusiva de estruturação de compliance, treinamento, comunicação com clientes e aceleração do processo de ativação de nossos serviços”, explica o CEO da empresa, Marcelo Assunção.

 

Por: Gabriel Menezes

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE