PUBLICIDADE

E aí, vai viajar para as festas de final de ano?

Por Revista Síndico
Última atualização: 03/11/2021

Modern,Residential,Buildings,With,Outdoor,Facilities,,Facade,Of,New,Low-energy
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Férias é o momento mais aguardado do ano para recarregar as energias e esquecer da rotina intensa de trabalho ou estudos. Contudo, o período dedicado ao relaxamento não pode se transformar em descuido com a segurança, mesmo para quem mora em condomínio fechado. Antes de fazer as malas e embarcar rumo a uma viagem de final de ano, é necessário dar atenção especial ao lar a fim de se prevenir contra arrombamentos, furtos, vandalismo ou até acidentes domésticos.

O tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo e especialista em segurança em condomínios, José Elias de Godoy, orienta sobre medidas preventivas simples, que dependem exclusivamente do morador. “Basicamente, verificar se todas as portas, janelas e acessos ao imóvel estão trancados, até com fechaduras de reforço, se for o caso. Suspender envio de correspondências e encomendas feitas, evitando que se acumulem na porta da residência. Avisar um vizinho de confiança, para que em caso de movimentação estranha, ele tome alguma providência, chamando a polícia ou avisando o dono do imóvel,” alerta.

homem de terno
José Elias Godoy é policial, especialista em segurança e dá uma dica importante: “antes de viajar, avise um vizinho de confiança para que em caso de movimentação estranha ele tome alguma providência”

Também é preciso se atentar para vazamentos de gás, inundações e incêndios. “Não é apenas o risco de invasão ao patrimônio, é preciso observar se há equipamentos ligados na tomada que podem superaquecer, correndo risco de incêndio. Desligar a válvula de gás para que não ocorra vazamento, verificar se o registro geral de água está fechado, evitando inundações até em apartamentos vizinhos. Tudo isso deve ser observado antes de viajar para que não haja surpresas depois”, previne o profissional.

mulher de short
Para Vanessa, sua maior preocupação é o risco de incêndio, então quando viaja para mais longe faz questão de desligar a chave elétrica e fechar o registro de água

Mesmo quem se sente seguro em casa, como é o caso da funcionária pública Vanessa Pinheiro, precisa tomar cuidados antes de deixar o lar. O condomínio onde mora há oito anos em Guarulhos, na Grande São Paulo, é bem equipado com câmeras no hall, catracas e tag eletrônica para acesso, além de checagem redobrada quando se trata de visitantes. “Quando a pessoa vem de fora, informa na portaria o apartamento e o andar, e o funcionário liga para confirmar com o morador. Sempre quando é visitante eles pegam os dados. Acho que deixam registrado durante um tempo porque, se acontecer algo, sabem qual dia aquela pessoa visitou o apartamento,” conta Vanessa. Segundo ela, a principal preocupação é com acidentes domésticos. “O que mais ficamos atentos é o risco de incêndio. Então, quando vamos para algum lugar para demorar muito tempo, desligamos a chave elétrica e fechamos a água”, diz.

homem de blaser azul
Sérgio da Mata é morador de São Paulo e conta que há anos segue à risca todas as orientações de segunda antes de viajar para evitar surpresas desagradáveis

Amante de viagens, o gerente financeiro Sérgio da Mata segue à risca os cuidados com a segurança do apartamento onde reside, na cidade de São Paulo. “Como moro em um condomínio, deixo os porteiros e o síndico avisados de que o apartamento estará vazio durante esse período. Geralmente, tranco todas as janelas, ativo sensor de presença via WI-FI, fecho gás de cozinha e gás do chuveiro, desligo o registro de água, além de avisar meus vizinhos de porta sobre a ausência,” disse Sérgio. Ele conta que mantém há anos o mesmo ritual e nunca teve surpresas desagradáveis ao retornar das férias.

 

Equipamentos eletrônicos

Autor dos livros “Manual de Segurança em Condomínios’’ e “Técnicas de Segurança em Condomínios”, Elias de Godoy dá alguns exemplos de equipamentos que podem ser usados para reforçar a casa antes de uma viagem, principalmente para controle e monitoramento da residência. “Câmeras conectadas ao celular, monitorando parte interna e externa do imóvel, alarmes infra vermelhos, que podem ser colocados ativos em volta do muro, e também na parte interna da residência. Ou mesmo sensores de portas e janelas, que ajudam no monitoramento, caso algum invasor abra a porta. Como também cercas elétricas na parte perimetral, acima de dois metros e meio”, pontua Elias.

 

Dicas de segurança de Elias de Godoy para o período de férias e final de ano

  •  Instalar fechaduras quádruplas e complementares nas portas e janelas, inclusive reforçando-as;
  •  Nunca propalar perto de pessoas estranhas que viajará por um longo período;
  •  Fechar os registros de gás e água para se evitar vazamentos;
  •  Cuidado ao deixar as chaves da residência com empregadas domésticas diaristas, estranhas, uma vez que podem ser copiadas para uso criminoso;
  •  Suspender a entrega de correspondências e jornais no período em que estiver fora;
  •  Sendo necessário aguar as plantas ou tratar de algum bicho de estimação, deixar uma das chaves com algum vizinho de confiança ou a algum amigo ou mesmo um parente próximo;
  •  Comunique sua ausência a um vizinho de confiança. Telefone para ele de vez em quando, para saber se está tudo bem;
  •  Informar a um vizinho próximo também o local onde se está indo viajar, a possível data de retorno e um telefone que possa ser contatado em caso de alguma emergência.

Por: Fabiana Oliva

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE