PUBLICIDADE

Pragas urbanas: como evitar a propagação no verão?

Por Revista Síndico
Última atualização: 09/03/2021

capa (1)
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O verão é considerado o período ideal para o desenvolvimento e propagação de insetos, em geral por conta das condições mais favoráveis para a sua reprodução, como o calor, o aumento da umidade do ar e o crescimento da vegetação com as chuvas.

Assim, seja dentro de casa ou mesmo nas áreas comuns dos condomínios residenciais, precisamos nos preparar para diversos problemas causados pelo surgimento de cupins, baratas, mosquitos, formigas, ratos e outras pragas. 

O cuidado nos condomínios, por exemplo, é algo que deve acontecer o ano inteiro, principalmente naqueles com muita área verde, próximos de rios e córregos ou de terrenos vazios, que costumam apresentar infestação de pragas. Por isso, contratar uma empresa especializada no controle de pragas e manter o serviço em constante manutenção pode ser uma boa opção. 

Vale lembrar que é responsabilidade do síndico zelar pelas áreas comuns, sendo assim, caso haja algum tipo de infestação, e se isso implicar em prejuízos ao condomínio devido à ausência de cuidados, o síndico poderá ser responsabilizado e obrigado a indenizar o próprio condomínio que administra.

 

Antes de contratar, busque referências no controle de pragas

Para impedir a infestação dessas pragas de forma mais segura e eficiente, é recomendada a contratação de uma prestadora de serviço que tenha autorização da Vigilância Sanitária, pois o documento da instituição comprova a legalização da mesma. Uma forma de o condomínio garantir que está contratando um serviço seguro, e principalmente, contar com a garantia de que a empresa utiliza produtos autorizados no Brasil. Mas atenção: antes da contratação, lembre-se de que para efetuar qualquer negociação que impacte nas finanças do condomínio, o síndico deve levar a decisão à Assembleia.

Profissional utilizando roupa de proteção realiza dedetização nas escadas do condomínio via spray
Para impedir a infestação das pragas de forma segura e eficiente, é recomendada a contratação de uma prestadora de serviço que tenha autorização da Vigilância Sanitária

A empresa contratada deve ser encarregada de passar todo o tipo de informação sobre a realização do serviço para o condomínio, como verificar previamente o espaço e indicar o produto mais adequado para a aplicação no local; por quanto tempo a área deverá ser isolada para evitar infecção de animais ou moradores; e o tempo necessário para uma nova aplicação do produto, se houver necessidade.

Tarcísio de Freitas Feital, gerente de soluções técnicas e comerciais da empresa Insetisan, especializada em controle de pragas, afirma que normalmente os serviços são realizados com a aplicação de inseticidas na forma líquida nos ralos, em pó nas caixas de gordura e esgotos e com aplicação de iscas em gel em locais estratégicos como interior de armários e gavetas. 

“Atualmente as aplicações são bem confortáveis e seguras. Quando o nível de infestação no local está dentro de uma normalidade não é necessário esvaziar os espaços e nem se ausentar do ambiente”, esclarece. É importante que os moradores sejam avisados com pelo menos 48 horas de antecedência sobre o serviço executado, justamente para que possam aguardar e não circular em áreas que acabaram de sofrer pulverização.

Além do cuidado recorrente é preciso também estar atento à manutenção do serviço, pois é a melhor forma de garantir o controle de pragas e a qualidade de vida dos moradores. Um pacote de cuidados ao longo do ano, por exemplo, pode custar até 30% mais barato do que pagar pelos mesmos serviços de maneira avulsa. 

Não existe uma lei que regulamente todas as dedetizações dos condomínios em território nacional, mas existem leis em níveis estaduais e municipais que tratam deste assunto. No Rio de Janeiro, por exemplo, a lei estadual nº 7806/2017 determina, no art. 5º, que “os condomínios serão obrigados a providenciarem a realização dos serviços de desinsetização e desratização, conforme proposto pelas normas vigentes da ANVISA”.  Algumas empresas oferecem, ainda, de 3 a 6 meses de garantia após a dedetização.

“Após o término do serviço, orientamos síndicos e moradores a manterem sempre uma boa higiene do local, separar o lixo adequadamente, evitar frestas e fendas nas estruturas e fazer a triagem dos alimentos antes de estocar, para evitar trazer insetos da rua. Assim, o serviço se mantém resguardado até a próxima aplicação do produto”, finaliza Tarcísio.

Geralmente, a maioria dos condomínios procura o serviço de controle de pragas quando a proliferação já está em um nível avançado. No entanto, moradores e funcionários também podem contribuir para evitar esse tipo de problema. 

Profissional utilizando roupa de proteção realiza a aplicação do produto de dedetização nos ralos
A aplicação de inseticida de forma líquida nos ralos é uma das práticas mais comuns para o controle de pragas

No condomínio São Lucas, na Ilha do Governador, zona Norte do Rio de Janeiro, o síndico Waldecy Filho faz a dedetização sempre no mês de novembro nas caixas de esgoto e de gordura, e nos apartamentos dos moradores de forma opcional, mas conta com a colaboração de todos para manter o condomínio livre de cupins, baratas e formigas. “Pedimos aos condôminos e funcionários que sempre descartem o lixo de suas unidades nos locais indicados e que cuidem da estrutura física de seus imóveis e mobílias, para evitar que cupins usem as falhas como abrigo”, explica.

 

Dicas para se prevenir das pragas

A melhor maneira de realizar um controle efetivo de pragas, principalmente nesta época do ano, é investir em prevenção. Por isso, separamos algumas boas práticas que todos podem adotar:

  • Moradores devem ser regularmente sensibilizados acerca da importância do controle de pragas através de orientações repassadas nas reuniões ou em cartazes afixados no prédio;
  • Escolha plantas adequadas para o condomínio, que devem ser preferencialmente baixas para evitar o aparecimento de mosquitos e pernilongos;
  • Lembre-se de colocar proteção no topo do edifício para evitar que o local se torne moradia para uma população de pombos;
  • Tenha um local específico para depósito de lixo e oriente os moradores a utilizarem o local apropriado;
  • Oriente a empresa de jardinagem sobre o controle de pragas, especialmente de formigas;
  • Mantenha as grelhas sempre limpas, desentupidas e com tela;
  • Recolha sempre as sobras de alimentos após o uso de churrasqueiras e outras áreas comuns;
  • Realize a limpeza e a higienização das caixas d’água com frequência;
  • Mantenha as tampas de ralos e bueiros sempre fechadas.

+ Confira uma reportagem sobre pragas urbanas com a participação do biólogo Edris Queiroz

 

 

Por: Juliana Marques

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE