PUBLICIDADE

Individualização de água nos condomínios

Por Revista Síndico
Última atualização: 05/01/2022

Technician checking water system nodes. Modern Industrial background.
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Diante das últimas crises hídricas e do constante período de racionamento de água que o país enfrenta, síndicos e administradores têm buscado soluções para diminuir os custos e combater o desperdício deste recurso tão importante. Segundo pesquisa no site Valor Econômico, o consumo de água representa cerca de 15% dos gastos condominiais. Logo, nada mais natural do que procurar equilibrar a gestão financeira do condomínio quando o assunto é a administração da água.

 

A medição individualizada de água tem sido adotada por muitos condomínios. O processo ocorre quando cada unidade consumidora paga apenas pelo volume consumido, ou seja, quando é instalado um hidrômetro capaz de medir individualmente com precisão o consumo de água de cada apartamento, o que permite a cada condômino acompanhar, mês a mês, o seu gasto de água e conhecer seu próprio ritmo de consumo. A tecnologia é ideal para condomínios que querem evitar desperdícios e economizar, além de proporcionar aos consumidores a consciência sobre a importância da utilização racional do recurso.

 

Normalmente, uma empresa especializada é contratada para fazer a leitura individual dos hidrômetros e apontar a cobrança. No serviço tradicional, a concessionária de água faz a leitura apenas na entrada de água principal do condomínio em geral, e a partir daí o custo é dividido entre os moradores. O processo permite que o condomínio não arque com o pagamento da água dos condôminos inadimplentes e também facilita na identificação de infiltrações.

 

De acordo com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), o número de condomínios na região metropolitana de Belo Horizonte que encomendaram a instalação de hidrômetros aumentou em 57% nos últimos seis anos. A popularidade se deve principalmente à redução de custos, já que empresas de abastecimento garantem que a economia pode chegar a 35% após esta implantação.

 

A prática vem se popularizando cada vez mais pelo país, ainda mais após a publicação da Lei Federal 13.312/2016, que entrou em vigor em julho de 2021 obrigando todos os condomínios novos a serem entregues prontos para medição individual da água. “Essa movimentação já está ocorrendo no Brasil há pelo menos dez anos. Agora com a lei de âmbito federal que condiciona todos os empreendimentos novos para esta exigência, entregando a estrutura pronta para instalar os hidrômetros individuais, cabe aos condomínios definirem como farão isso”, comenta Mauricio Catelli, diretor da empresa CAS Tecnologia, especialista em dispositivos para medição individualizada.

Maurício Catelli é especialista no assunto e lembra que essa movimentação já está ocorrendo no Brasil há pelo menos dez anos

 

Valor e instalação

O custo para adicionar um sistema de medição individualizada de consumo de água pode variar de acordo com a cidade, o número de unidades e a infraestrutura do condomínio. Em média, o valor do aparelho e a instalação de cada hidrômetro varia de R$350 a R$700, por unidade. No entanto, prédios antigos precisam gastar mais caso queiram individualizar a cobrança de água. O valor do projeto hidráulico pode chegar a R$4 mil por unidade.

 

Além da instalação, o condomínio também precisará arcar com o pagamento da taxa pela gestão do equipamento. Nesses casos, o valor pode variar entre R$3 e R$8 mensais por unidade. Por outro lado, algumas companhias de saneamento básico oferecem a opção de gestão do sistema de individualização de água – a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) deu início à operação de medição individualizada em condomínios residenciais e comerciais de todos os 364 municípios paulistas que atende. Assim, a conta de água mensal é enviada diretamente pelo órgão e não por uma empresa contratada. Deste modo, evita-se a cobrança de uma taxa mensal extra. Basta conferir se a concessionária da sua região oferece essa oportunidade.

 

Apesar dos custos com a reforma e acompanhamento, o sistema de hidrômetros permite que a economia seja feita a longo prazo. Devido à gestão do próprio consumo de água, o morador tem controle sobre a própria economia, com isso, as contas podem se tornar 35% a 60% mais baratas. Na opinião de Hubert Gebara, vice-presidente de administração imobiliária do Secovi-SP, além de ajudar na economia de água, a individualização do hidrômetro deixa a conta mais justa. “Se eu tenho o hidrômetro individualizado, eu sinto no bolso. Se eu tiver um vazamento ou se meus filhos estiverem gastando muita água, a partir do momento em que o meu hidrômetro apontar um aumento, eu vou tomar uma providência”.

Na opinião de Hubert Gebara, vice-presidente de administração imobiliária do Secovi-SP, além de ajudar na economia de água, a individualização do hidrômetro deixa a conta mais justa.

É importante ressaltar que as alterações devem ser executadas exatamente de acordo com os projetos estudados, pois permanecerão para toda a existência da edificação. Para prédios já preparados para a medição individualizada de água, é realizada apenas a instalação dos hidrômetros com os rádios-transmissores nos pontos destinados pelo projeto. Caso o prédio não tenha projeto hidráulico preparado para a medição será preciso adequar a rede hidráulica e instalar hidrômetros no interior das unidades após os registros de entrada de cada unidade.

 

“Um hidrômetro é instalado com RT (rádio transmissão) após o registro de entrada da água de cada apartamento. Mensalmente os dados de consumo são transferidos remotamente para uma central de processamento que irá elaborar o relatório digitalizado da gestão do consumo de água de cada apartamento e o consumo proporcional da área comum. Os dados são valorados segundo o sistema de tarifação da concessionária local e o relatório é enviado para o síndico e para a administradora que repassa as informações para o boleto mensal de cobrança do condomínio”, explica Catelli.

 

 Benefícios

A medição individualizada de água pode trazer diversos benefícios para o condomínio e os moradores, veja alguns exemplos:

Consumo racional da água – o estimado por especialistas é que haja uma diminuição global de 40% do consumo de água no condomínio como um todo.

Cobrança justa do que cada unidade consome – geralmente, 70% dos moradores dos condomínios percebem uma diminuição na sua conta.

Ganho do meio ambiente com a conscientização do consumo – depois de um período de adaptação, fica evidente que usar a água de forma racional é uma ótima forma de economizar e ajudar o meio ambiente.

Agrega valor à unidade – especialistas afirmam que é um ganho real para o patrimônio de toda a comunidade quando há individualização da água.

Facilidade para o síndico – dependendo da empresa escolhida pelo condomínio, a conta de água passa a ser gerida pela parceira, deixando o gestor se concentrar em outros temas.

 

Por Juliana Marques

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE