PUBLICIDADE

Como garantir a segurança nos condomínios durante o período de férias?

Por Revista Síndico
Última atualização: 12/01/2021

Segurança em condomínios - férias
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

As férias são ocasiões esperadas por muitas pessoas, mas podem significar uma preocupação a mais para o síndico e todos os demais que dividem o ambiente condominial, já que este período exige cuidados redobrados no quesito da segurança.

Nesta época, alguns condomínios podem virar alvo de invasores e, por isso, atitudes simples podem afastar esse tipo de problema. A segurança preventiva está diretamente ligada à mudança de hábitos e descumprir as normas estabelecidas é colocar em risco a segurança das pessoas que habitam e trabalham nesses locais. O síndico deve levar o assunto à Assembleia sempre que possível, para que os moradores também possam contribuir para o bem-estar e a proteção de todos. 

No condomínio Frei Cassiano, no Rio de Janeiro, o síndico Ulisses Ferreira cumpre à risca todas as medidas de segurança estabelecidas no Regimento Interno. “Durante o período das férias escolares e confraternizações, notamos uma maior circulação de pessoas, por isso a administração está sempre criando estratégias para tornar o ambiente mais seguro para todos. Uma delas é reforçar as orientações de vigilância aos funcionários, principalmente na entrada e saída de visitantes. É importante se manter em permanente estado de alerta”, afirma o síndico.

O SecoviRio, Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro, orienta moradores, síndicos e administradores sobre como reforçar a segurança no período das férias. Dentre as medidas, “é recomendável deixar as chaves e o telefone de contato com algum parente ou amigo próximo, de preferência alguém que não more no mesmo local, e avisar um vizinho de confiança sobre a ausência, pois ele poderá ficar atento a qualquer movimentação estranha”.

Lembre-se: Não é seguro fornecer muitos detalhes sobre datas de viagens e períodos longos de ausência a pessoas estranhas. Cancelar a entrega de jornais e revistas durante este período também é uma ótima medida de segurança, já que o acúmulo deste tipo de correspondência pode delatar uma residência vazia.

Para aqueles que ficam em casa, a garagem necessita de atenção extra, por ser um dos pontos mais vulneráveis do condomínio. Pesquisas revelam que, nos últimos anos, 90% das invasões ocorreram pela garagem ou porta da frente. Por isso, ao chegar com o carro, o condômino deve acender a luz interna do veículo ou abaixar os vidros. Desta maneira, os funcionários da portaria podem ter certeza de que o motorista é o morador do prédio, e não algum invasor que tomou posse do controle remoto da garagem.

Segurança física das instalações + capacitação dos funcionários + conscientização dos moradores é o segredo da segurança condominial

Os condomínios fechados ainda são considerados uma opção mais segura para moradia. Porém, a chance de tudo dar certo é muito maior quando todos os envolvidos unem suas forças e agem com rigor e responsabilidade. Para o Tenente-Coronel da Polícia Militar/SP e especialista em segurança em condomínios, José Elias de Godoy, cabe ao síndico planejar, administrar e promover a execução das medidas de proteção de cada prédio. 

Tenente-coronel José Elias de Godoy segurando um exemplar do seu livro Técnicas de Segurança em Condomínios
José Elias de Godoy, especialista em segurança condominial, é autor de livro sobre o assunto

“É interessante que haja uma comissão de segurança para que se avalie a necessidade da elaboração de procedimentos claros e objetivos, além de verificar a viabilidade de instalação e atualização dos equipamentos de segurança já existentes. É muito importante treinar a equipe e orientar os moradores”, explica ele, que também é autor do livro Técnicas de Segurança em Condomínios compre aqui. Diante disso, a conscientização de todos sobre os seus respectivos papéis na manutenção da segurança é essencial.

Fragilidades e vulnerabilidades nos sistemas de segurança, distrações, ingenuidade e despreparo são as falhas mais comuns observadas quando algum incidente envolvendo a falta de segurança acontece. Embora as ocorrências policiais durante o período da pandemia tenham diminuído, os assaltos continuam ocorrendo. Por isso, todo cuidado é pouco, ainda mais nesta época em que muitos imóveis ficam vazios. 

Câmera de segurança instalada em poste em condomínio
Equipamentos de segurança, como câmeras, devem ser revisados com regularidade para contribuir no monitoramento interno

“Acredito que a proteção do condomínio está ligada a três bases principais que são: segurança física das instalações, investimento em funcionários e conscientização dos condôminos”, finaliza José Elias.

Cenários como o recebimento constante de encomendas, a grande circulação de visitantes e os moradores que viajam, precisam estar bem planejados e monitorados, a fim de garantir todo o processo de segurança condominial. 

Alguns procedimentos simples envolvendo tecnologia, porteiros, zeladores e os próprios moradores podem ser realizados para promover maior segurança ao condomínio. Assim, a época mais aguardada do ano não será motivo de dor de cabeça para ninguém.

Moradores e a segurança condominial 

Os moradores têm um papel fundamental na manutenção da segurança no condomínio, não apenas nesta época, mas durante todo o ano. Diante disso, o síndico deve fazer um trabalho de orientação a respeito das normas e procedimentos de segurança a serem seguidos. 

Veja abaixo algumas dicas de segurança para os moradores – os que estarão ausentes ou presentes em suas casas – durante este período:

– Tranque todas as portas antes de sair;

– Não deixe a sua chave na portaria;

– Não esconda a chave embaixo do capacho ou em um vaso próximo da sua porta;

– Evite avisar a todos sobre o período em que estiver fora. Quanto menos pessoas souberem sobre as datas de ida e volta, mais segura a sua residência estará;

– Deixe autorizado o acesso da empregada doméstica, caso a mesma venha durante sua viagem;

– Caso vá algum parente cuidar do seu animal de estimação ou molhar as plantas, deixe avisado com antecedência no condomínio.

 

Por: Juliana Almeida

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE