PUBLICIDADE

8 dicas para melhorar a ergonomia na cozinha e deixá-la mais funcional

Por Revista Síndico
Última atualização: 25/02/2021
,

A beautiful shot of a modern house kitchen shelves and drawers
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Muitas vezes, a cozinha possui um papel afetivo na casa, já que ela é um dos lugares ideais para compartilhar momentos com a família e pessoas queridas. Por ser utilizada com frequência durante a preparação de refeições no dia a dia, os detalhes quanto à escolha e posicionamentos dos móveis podem influenciar a saúde dos moradores.

Cozinha amarela
Projeto assinado pelo CR2 Arquitetura (Foto: Cris Farhat)

“O excesso de tempo na cozinha causado pela pandemia, pode sobrecarregar as articulações, os ombros e a lombar pelas horas em pé. Também é comum a ocorrência de dores nos punhos”, diz o fisioterapeuta Cadu Ramos. Quanto à posição correta para não prejudicar a coluna, Cadu recomenda: “Na hora de lavar a louça, precisamos ficar o mínimo de tempo na pia e manter a postura sempre ereta. Ao cozinhar e mexer, vale trocar os braços e as mãos para evitar a tendinite pelo esforço feito sempre com o mesmo lado”, diz. Se você quiser evitar e amenizar esses incômodos, o profissional sugere o alongamento, que solta a musculatura e diminui o estresse da tensão muscular.

Já a arquiteta Sabrina Salles, explica que a ergonomia na cozinha envolve a preocupação quanto ao conforto para realização das atividades no ambiente. “Como o local é uma área de trabalho, eu observo a altura dos clientes para que eles possam usar o fogão e até mesmo cortar alimentos. Também priorizo que os objetos mais utilizados fiquem em uma área de fácil acesso, que não seja muito alta”, afirma.

Cozinha rosa
Cozinha assinada por Andrew Magmet, do escritório VYMIR Design (Foto: Divulgação)

Segundo a arquiteta, a altura da bancada e dos armários pode ser ajustada de acordo com o morador, sempre pensando em simplificar a movimentação na área. “Outro item que pode ser modificado é a ilha da cozinha, que influencia diretamente a escolha de uma banqueta. No caso das ilhas que são feitas na altura da pia, as banquetas precisam ser mais baixas”, explica Sabrina.

Dicas para melhorar a ergonomia na cozinha

Para a arquiteta Isabella Nalon, os projetos de cozinha devem seguir algumas medidas que contribuem para o aproveitamento do espaço, considerando a altura do usuário. “Além disso, essas mudanças proporcionam mais segurança e bem-estar aos moradores”, afirma. Confira as dicas que a arquiteta listou para te ajudar a deixar a cozinha mais funcional:

1. Altura ideal da bancada

cozinha cor madeira
Cozinha em Brooklyn, nos EUA, projetada pelo escritório Stewart-Schafer (Foto: Divulgação)

O ideal é que a bancada fique em uma altura confortável o suficiente para ninguém precisar se curvar para alcançar o fundo da cuba. Para isso, ela deve estar entre 90 cm e 94 cm a partir do fim do piso e uma profundidade mínima de 65 cm, espaço recomendado para comportar uma cuba grande e a torneira.

Se houver máquina de lavar louça de piso, essas medidas podem sofrer uma alteração. Nesse caso, a dica é colocá-la em um canto, próximo da cuba, mas fora da bancada em uso, para que a altura extra não atrapalhe o local de trabalho. Além disso, o melhor é que a pia seja instalada em um local com bastante iluminação para facilitar os preparos.

2. Armário superior

Esse elemento tão importante para organizar os utensílios pode ter uma profundidade menor do que a bancada, em torno de 35 cm a 40 cm. Quanto à elevação, ele fica a 60 cm acima da bancada.

3. Armário inferior
cozinha madeira e industrial
Cozinha após reforma comandada pela arquiteta Marina Canhadas, do escritório Entre Escalas (Foto: Pedro Napolitano Prata)

A versão inferior do móvel precisa ter a profundidade total da bancada. Se ele for suspenso do piso, a distância pode ser de cerca de 20 cm do solo, facilitando na hora da limpeza. Se houver alvenaria entre os dois, sua altura deve estar entre 10 e 15 cm e ter um recuo de 7 cm a 15 cm, proporcionando um melhor encaixe dos pés para quem estiver usando. “Gosto de deixar um recuo de pingadeira de mais ou menos 1 cm para que, caso escorra água, não bata direto na porta do armário”, aconselha a arquiteta.

4. Circulação

Na hora de projetar uma cozinha, a circulação é uma das prioridades. Assim, 90 cm é uma boa medida que possibilita mais tranquilidade aos moradores, levando em consideração a distância mínima para abrir o forno e a porta dos móveis.

Nos casos em que há uma ilha no meio, é preciso cogitar a possibilidade de que duas pessoas estejam usando o ambiente ao mesmo tempo. Dessa forma, o recomendado é um espaço de 1,20 m a 1,50 m.

5. Coluna de fornos, micro-ondas e forno elétrico

cozinha azul
Apartamento decorado pela designer de interiores Marina La-Gatta, em São Paulo (Foto: Julia Ribeiro/ Divulgação)

“Antes de qualquer coisa, é essencial pensar em todos os itens e eletrodomésticos que serão instalados para poder colocar em prática essas medidas”, afirma Isabella. Sendo assim, o micro-ondas deve estar à altura dos olhos de um adulto, entre 1,30 m e 1,50 m do piso. Já o forno elétrico pode ser colocado abaixo do primeiro, entre 90 cm e 97 cm do centro do micro-ondas. Além disso, o ideal é que as colunas de fornos estejam afastadas do fogão para que os eletrodomésticos não fiquem engordurados.

6. Fogão

Ao falar do fogão, que pode ser um embutido tradicional com forno ou um cooktop elétrico ou a gás, alguns cuidados são necessários. O melhor é que ele seja instalado perto da pia, com uma área de transição de 0,90 m a 1,20 m, com lugar para acomodar as panelas quentes e o preparo das refeições. O exaustor, por sua vez, fica a uma altura mínima de 50 cm até 70 cm da bancada.

7. Backsplash

A altura do frontão ou backsplash varia de acordo com cada projeto. Se há uma janela logo acima da bancada, ele deve estar entre 15 cm e 20 cm, encostando na abertura.

 

Fonte: Casa Vogue

Imagem: Freepik

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE